01/12/2015

Inicio e fim

Adeus ano velho, feliz ano novo em breve tudo se repete e desejamos o mesmo todo ano, que tudo se realize nesse ano que vai chegar, muito dinheiro no bolso, saúde e paz.
Obrigada a todos que me acompanhou ao longo deste ano de 2015.
Nos vemos em 2016!
Abraços queridos leitores.



21/11/2015

Mal ditas

Malditas palavras não ditas
Por medo da inveja
Por medo da indiferença
Por medo da dor
Por medo do próprio medo de dar certo
Malditas sejam essas palavras sufocantes
Que não ressuscitam ninguém
Que não atinge seus alvos
Que não chamam atenção
Que não servem de ermo
Malditas sejam as ditas por momento
Malditas todas as palavras mal ditas
Todas as perdidas
Todas as feridas
Todas as renunciadas
Todas as ouvidas
Todas as sentidas
Todas as iludidas
Todas as palavras que deveriam em mim morrer, mas que insistem em escorrer aqui por você.

By Lilyth Luthor




20/11/2015

Diário da Nova Menina


1º Dia
Percebeu que não era uma inútil, estava estudando e deu-se conta que não deveria julgar-se tão mal, afinal não fora sua culpa nada do que lhe aconteceu.
A vida lhe sorriu.
Após todos os lamentos dos amigos, ela sorriu pelo caminho de casa com seu motorista favorito contando as piadas... A alegria em pequenos detalhes que ela aprendera a observar.
Sim ela não era inútil, não aquela menina que estava sorrindo da piada besta do amigo...
Vira muitos vídeos, ficou no trabalho do porto e com ele sentiu-se segura.



By Lilyth Luthor


19/11/2015

Diário da Inútil 4º Dia


Estava pensando na vida e fora desperta pela obrigação nova.
Fez o almoço sorridente, viram noticias, desenhos e riram juntos.
Novamente arrumou a casa e pensou como era constante isso de manter a casa em ordem.
Sorria pra si.
Ao falar de tudo, apenas sorria, apesar do desespero alheio, ela pensava que a vida sempre continua e que ninguém sabia o que estava por vir.
Nem mesmo ela....


By Lilyth Luthor


18/11/2015

Diário da Inútil 3º Dia


Acordou cedo, sorriu pra si e disse posso voltar a dormir.
Fez o café da manha calmamente para os amores seus.
Arrumou a cama, lavou as roupas, limpou tudo que pode, leu um livro triste e chorou.
Fez o almoço e com seu porto comeu.
Viu filmes e sensibilizou, não quis poetizar, nem pensar, nem mais existir...
Estava tudo tão banalizado ali.
Preferiu dormir.

By Lilyth Luthor


17/11/2015

Diário da Inútil


2º Dia
Era final de semana, mas acordou cedo como de costume..
Olhou ao redor e sorriu, poderia voltar a dormir.
Fez assim por três dias, curtiu as séries favoritas, os animes, as musicas...
Ela não sabia que cabia tantas coisas num só dia.
Até arriscou a cozinhar e foi elogiada.
Estava feliz com esta possibilidade.


By Lilyth Luthor


16/11/2015

Diário da Inútil


1º Dia:

A dispensa...

Eram por volta das cinco da tarde quando ela sentiu a flechada em seu coração e percebeu destruídos todos seus planos e anseios.

Estavam todos jogados naquela mesa, torturados pelo sufocamento anterior, enojados com o sarcasmo vomitado neles..

Manteve-se belamente forte e consciente, apesar de toda dor, sorria ao dar adeus aos que considerava alguma coisa em sua vida.

Avisou ao porto que estava voltando pra casa e para seu lado, numa busca incansável por abraços sinceros e palavras de consolo.

Foi assim consolada e apoiada, amada e tranquilizada.

A noite chegou e pode descansar entre pensamentos confusos.

By Lilyth Luthor



03/11/2015

Caça



Se você quer algo, corra atrás, dedique-se e faça seu melhor.
Vá e conquiste seu lugar ao sol.
By Lilyth Luthor


02/11/2015

Brasileiros

Brasil:
Façam Enem e entrem para uma boa universidade e garanta seu futuro.
Governo: Investe, estimula e cancela o Pronatec.
Brasil: Basta de violência contra os brasileiros.
Governo: Vamos votar leis que autoriza cotas, banheiros diferentes, meninas a abortar, agora as meninas não podem abortar mesmo sendo de estuprador, disseminem ódio e preconceitos.
Nesse cenário trágico você quer que EU faça sentido?
Que Eu seja coerente, nesse país da educação onde estão fechando escolas e cortando as verbas pra educação?
Quer que eu tenha sanidade estando num país de loucos?
Onde vale mais o tal jeitinho brasileiro do que o esforço e luta?
Onde apelam pela vida de traficantes na Indonésia, mas são incapazes de salvar os traficantes no próprio país?
Um país onde tem a maior coletânea de leis (vide Vade Mecun), mas as autoridades estão despreparadas para cumpri-las.
É Brasil..
Pátria amada.
Estamos mesmo sedentos por filhos que não fogem a luta.
Filhos que não temam a própria morte...
Estamos precisando de Brasileiros de seres Humanos..
Menos mi mi de raça, classe social, orientação sexual.


By Lilyth Luthor


01/11/2015

Entorpecida

Adormeceu
Não acordou
Está dormente
Ele viu o erro
Mas não há como reverter
Ela adormeceu...
Sentada no canto,
Olhando o nada,
Ouviu tudo
Reação letárgica
Ele sorri e sai
Ele vive ainda
Ele diverte-se com isso,
Sem saber do seu destino...
Por horas, semanas e meses até.
Ela apenas existia ali
Dormente.
Quem não se sente assim,
Entorpecida pelo nada?

By Lilyth Luthor



30/10/2015

Deixa

E não pára mais

O que estava contido por algum desfeito se soltou

Dói demais

Mas há que se deixar

Ele precisa desabar

Ele precisa sentenciar

Ele precisa acabar

Esse poema que em nada acrescenta,

Quer apenas ser escrito 

Registro de um lindo dia de céu azul.

By Lilyth Luthor


 

29/10/2015

Eternamente

Aflora o que me aprisiona
Grita o que me emudece
Liberta o que me prende
Sofre o que me alegra
Mata o que me dá vida
Assim o é
Assim será
Assim devemos ser entre tantos os mais
Assim é.
Que assim seja
Eu sempre eternamente posta a teus pés.

By Lilyth Luthor


28/10/2015

Borboletas

Toda aquela confissão perdeu-se no tempo,
Todas as palavras foram engolidas pelos dias de rotina.
Todas aquelas sensações
As borboletas morreram
As cores se perderam
Os sonhos desfeitos
E que sonhos...
Labirintos fechados intocáveis
Os ecos não ouvidos pararam de atormentar
A mente não foi mais passear
Nem eu, nem ela, nenhuma quis mais.
Silenciamos em nós mesmas.
Aquelas tardes perdidas
As noites mal dormidas
A fantasia descrita...
Outrora bem quista
Outrora possível
Outrora provável..
Hoje acusada de assassinato
Hoje condenada ao isolamento
Hoje por ter sido tanto, foi-se rebaixada à zero.
E ouvir sempre que estou morto por sua culpa...
Meses e nada alivia a culpa..
E que culpa?
Porque culpas?
Fui eu, foste tu, fomos nós, os responsáveis por todos os erros.
Fomos nós..
By Lilyth Luthor




27/10/2015

Confusáo

Ela tenta
Senta
Pensa
Olha
Sente
Mente
Inverte
Foge
Volta
Luta
Perde
Ganha
Nessa façanha
Duelo
Barganha
Palavras
Sentindo
Um nó
Sentindo?
Sem sentir
 By Lilyth Luthor




26/10/2015

Why are you afraid?

Primeiramente tenho medo de não entender isso.
Tenho medo do diferente
De perder algo
De me perder..
Nossa quantos medos heim?
Bons medos esses.
Medo de não entender esta vida?
Apenas viva-a
Medos do diferente?
Seja originalmente você mesmo.
Medo de perder algo?
A posse é ilusória, não possuímos nada, então nada perdemos.
Medo de se perder?
É preciso perder para se encontrar.

By Lilyth Luthor


25/10/2015

Razões

“Nossas acusações infantis

E palavras mordazes que machucam tanto

Não vão levar a nada, como sempre

Já brigamos tanto

Mas não vale a pena...

Versos que sempre fazem sentindo em horas assim..

E quem nunca ouviu uma musica para acalmar?

E quem nunca enviou uma musica para encantar?

E quem nunca cantou no chuveiro pra lagrimas disfarçar?

Essas são as razões..entre tantas de haver musica em minha vida.


By Lilyth Luthor






23/10/2015

Piscou acabou

ImediatoOntemAgoraAcabouComeçouFelizTristePassouSuperouDóiSofreMorre...E a esperança era poder desfrutar desta vida..

By Lilyth Luthor


22/10/2015

Poema-te poetisa.

Sua escrita é muito boa,
Ler-te é viciante,
Seus contos emocionam,
Sua poesia encanta,
Seus relatos dramáticos e enigmáticos mexem com a mente,
Parabéns continue assim, saudações, aplausos....
Uma mensagem, entre linhas, descarada, subliminar, evidente...
Um sorriso proporcionado na face alheia sem ao menos a certeza é para ti o alento.
Um verso mal feito, que lido tem alegrado algum sujeito.
Ah, menina, mulher, encanto, mistério, carinho...
Onde foram vocês?
Por quê?
Querias tantas coisas pequenas e grandes...
E fostes pelo caminho deixando tudo ate mesmo as poesias de si.
Fragmentos perdidos, que de inspiração serviram e jamais rimarão com a sua canção.
Canção esta que ainda ecoa em meus ouvidos.
Chega de não fazer sentido ou de se fazer.
Por que diacho existimos?
Eu não desisto de saber.

E você?
By Lilyth Luthor


21/10/2015

Diario de katie

Rio de Janeiro, 14 de novembro de 2014
Diário,
Hoje faz um mês que meu Haylan foi arrancado de mim.
Eu não sei como estou lhe escrevendo isso, foi recomendação médica, psiquiátrica, depois de ter ficado por 15 dias trancada no quarto dele, levaram uma mulher lá que disse que é normal sentir saudades, mas que meu filho não iria gostar de me ver assim, lembro de ter-lhe gritado umas ofensas, derrubaram a porta, me amarram e ela injetou algo em mim. Depois conversamos, ela sugeriu escrever um diário, cartas, livros para expressar a dor da tragédia que me ocorreu. Comecei hoje, não sei se ficara bom ,se aliviara, mas eu tento. Bem naquele dia 14 de outubro, Noah tinha bebido demais, me ligou diversas vezes pedindo que saíssemos do sitio da família dele, que seu pai já tinha morrido mesmo e que não deveríamos ficar aqui, aleguei que não tínhamos para onde ir que Haylan tinha direito tanto quanto ele no sitio, ele gritou que não era filho dele e eu disse que se ele não acreditasse que viesse ver com seus olhos o menino cuspido ele.
E ele veio do jeito que estava bêbado, dirigindo seu carro, todo cheio de razão, a mil por hora, xingando-me mentalmente.
Haylan estava no jardim, brincando com Toddy eu olhava-o da varanda sorrindo do seu jeito juvenil, meu pequeno homem 13 anos, eu imaginava suas namoradinhas em breve me chamando de tia. Ouvi ao longe um barulho de motor, não deu para correr, gritei da varanda, mas Haylan distraidamente corria e não viu quando Noah entrou em disparada com sua Hillux, atropelando-o. 
Meu filho meu mundo foi arremessado metros a frente, corri para ele, abracei seu corpinho frágil, 
ele olhou-me uma ultima vez, sorrindo para mim, cuspiu entre sangue um ultimo eu te amo mamãe. 
E morreu em meus braços, entre soluções desesperados eu vi o meu amado tirar meu mundo de mim. 
O pai, o incrédulo, o ausente, tirou de mim a vida que havia dado. Noah olhava a cena inerte no volante, vi ao longe ligar para alguém, tempos depois chegou a policia, os bombeiros, vizinhos e Lígia que abraçou Noah e foi levando-o para longe de mim, a cunhada que antes trocava confidencias comigo, estava advogando em defesa do assassino do meu filho.
Alguém me segurava não sei quem, eu só queria estar com Haylan, eu só via as negativas dos bombeiros, eu só senti uma ardência, eu só vi escuridão.
No dia seguinte acordei com Toddy pulando na cama, corri ao ultimo quarto do corredor, abri a porta e não o vi, desci chamando-o, tinha que ser um pesadelo, gritei no quintal, e Jurema apareceu, olhar sofrido, cabeça baixa, veio abraçar-me, afastei e ela falou que ele estava sendo velado na capela.
Quando cheguei e vi os parentes ausentes, o choro de Noah e meu filho ali, inerte naquele caixão eu desabei em choro, abraçada a ele, olhava seu rosto angelical e não acreditava, não meu filho não, meu tudo.
Noah veio falar, gritei tudo que estava preso em mim por 14 anos, desde o momento em que ele partiu.
Alguém tentou me tirar dali, mandei todos saírem, afinal nunca nos procuraram não tinham direito de estar conosco nesse momento.
A sós jurei a Haylan que nunca iria deixar-lo morrer em mim, jurei cuidar de tudo que ele amava.

E no dia seguinte ele foi enterrado, no cemitério da cidadezinha.





20/10/2015

Diario de katie

Rio de Janeiro, 13 de outubro de 2013
Noah ligou, dizendo que seu pai morreu, queria que fossemos para o velório, disse que Haylan não conhece ninguém da família para sentir a perda, que não iríamos, discutimos feio, sinto que terei de achar um novo lar para nós em breve.


19/10/2015

Diario de katie

Rio de janeiro, 01 de agosto de 2011
Diário a vida de mãe não é fácil, mas eu amo cada minuto com Haylan. Ele é meu único motivo para viver, persistir e continuar lutando a cada dia para dar o melhor para ele. Ele já esta um rapazinho 10 amos, quase do meu tamanho. E sabe cada dia se parece mais com o Noah, isso me entristece as vezes, saber que eles nunca se verão..Não sei como agir a cada dia dos pais na escola, as festinhas que fazem e meu filho me puxando pela mão argumentando que sou sua super pãe. Mistura de pai e mãe.





18/10/2015

Diario da Katie

Rio de janeiro, 20 de novembro de 2008
Diário, mil anos parece ter se passado desde a última conversa, pois bem, Haylan esta um rapazinho, 7 anos, super estudioso, ontem foi sua formatura de CA, preparação para o ensino fundamental. Ele ficou lindo, tiramos mil fotos para guardar de recordação. Ah, de aniversário ele me trouxe um pastor alemão abandonado perto da ponte.
Implorou-me para ficar com ele que seria seu presente de aniversario.
Todo o restante da família continua ausente, nós nem falamos muito sobre eles, prefiro criar meu filho longe deles.


17/10/2015

Diario da Katie

Rio de janeiro, 10 de fevereiro de 2003
Haylan esta me surpreendendo a cada dia, irá para a creche um ano mais cedo. Com dois anos ele já fala quase tudo, super carinhoso comigo, com os vizinhos. Um menino exemplar.



16/10/2015

Diario de Katie

Rio de janeiro, 02 de abriu de 2002

Aniversario do meu filho amado, um ano de muito amor e superação. Meu pequeno que corre e pula que me encanta com seu olhar. Fiz um bolo, os vizinhos vieram e cantamos parabéns, não tivemos ligações de nenhum parente nem presentes da cidade. 



15/10/2015

Diario da Katie

Rio de janeiro, 20 de outubro de 2001

Diário querido, Haylan fez 6 meses, está lindo. Noah nos deixou de vez, saiu certa manhã e não voltou, não atende ao telefone e seus pais não sabem para onde ele foi. O senhor Joshua informou que enquanto seu neto viver esse sítio será dele e que podemos viver aqui. Ou seja, estou de favor por culpa do remorso dele acerca da atitude de Noah. Como pode mudar tanto assim? Ele me amava e agora não nos quer.



14/10/2015

Diario de Katie

Rio de janeiro, 15 de agosto de 2001

Até hoje minha família não veio conhecer Haylan, mas estamos bem. Apesar de Noah nunca ter tempo para nós, estamos morando num sítio dos pais dele, afastado da cidade, Noah sempre vai para o Rio e nunca volta no mesmo dia, mas não me importo, aqui é tranqüilo e quase não tenho tempo para nada mais a não ser meu Haylan.


13/10/2015

Diario da katie

Rio de janeiro, 02 de abriu de 2001
Haylan nasceu ontem, lindo, meu menino, 52 cm, 3.100 kg, branquelinho, olhos azuis do pai, meu anjo platinado, chorou tanto, mas ao me ver sorriu e eu compreendi o milagre de ser mãe.




12/10/2015

Diario da Katie

Rio de janeiro, 02 de fevereiro de 2001
Estou grávida diário. Noah e eu seremos papais. A família esta contra, me expulsaram de casa, ninguém quer a vergonha de uma filha grávida sem casar, fui morar com Noah, mas estamos brigando muito, desde o quando cheguei, ele nunca pára em casa, estou muito sozinha. Tenho apenas esse bebe que eu sinto vivo em mim, todos os dias. É maravilhoso diário. Meu filho, meu menino, meu Haylan.
...Ah diário, não há palavras para explicar o que senti.


11/10/2015

Diario da Katie

Rio de janeiro, 02 de outubro de 2000
Noah fez 19 anos, comemoramos com os amigos da faculdade, muita bebida e zoação, estamos radiante porque agora ele vai trabalhar numa multinacional e ele me prometeu que em breve ira alugar um apartamento para nós. 

10/10/2015

Diario da Katie

Rio de janeiro, 02 de agosto de 2000

Noah me ligou, estava preocupado, problema na faculdade e no trabalho. Fui pra casa dele, conversamos, jantamos, bebemos um vinho, ele estava sozinho em casa. Fiquei um pouco alegre com o vinho, ele ria, nos beijamos e a paixão não pode ser contida, subimos para seu quarto e nos amamos perdidamente, insaciavelmente. Foi divino ele foi super romântico, delicado e gentil pois sabia que era inexperiente, eu amei cada segundo, o corpo dele suado em cima do meu...
Ah diário, não há palavras para explicar o que senti.



09/10/2015

Diario da Katie

Rio de janeiro, 03 de janeiro de 2000

Fiz as pazes com a minha família, finalmente eles aceitam meu relacionamento com Noah. Agora que um novo ano se inicia e nós temos muitos planos para nossa vida.Em breve serei maior de idade e poderei ir para onde quiser.


08/10/2015

Diario da Katie

Rio de janeiro, 15 de dezembro de 1999
Noah teve problemas no exercito com um sargento lá. Esta triste. Minha mãe não me deixou ir na casa dele de novo.Jurema a vaca da minha irmã contou pra ela que não fui a aula esses dias pra ir pra praia com ele. Mamãe me bateu e estou de castigo


07/10/2015

Diario da Katie

Rio de janeiro, 07 de outubro de 1999
Finalmente chegou meu aniversario de 17 anos, mais um ano e eu poderei sair dessa casa onde ninguém me aceita nem ao Noah, logo iremos ser um do outro em nossa casa.
Eu odeio estar presa aqui e não poder vê-lo todos os dias como era antes, agora que ele foi pro exercito esta muito difícil, e minha mãe não quer que eu vá pra casa dele todo final de semana. Acho que ela tem medo de acontecer comigo o que aconteceu com ela. de mim.





06/10/2015

Diario de Katie

Rio de janeiro, 15 de abril de 1999
Hoje faz um ano que conheci o Noah, estamos em festa. Ainda não selamos nosso amor, eu detesto ter 16 anos. Quero virar logo a mulher dele.




05/10/2015

Diario de Katie

Rio de janeiro, 30 de dezembro de 1998
Diario vim apenas contar rapidinho que vim pra serra com a família de Noah, estamos curtindo muito, os pais dele nos deixam dormir juntos, mas Noah não quis fazer nada, ele falou para esperarmos eu ter 18 anos e ai serei maior de idade e ele será meu único homem porque irá se casar comigo para que eu possa ser dele para sempre.
Ai eu amo tanto esse homem.





04/10/2015

Diario da Katie

Rio de janeiro, 30 de setembro de 1998
Nosso diário, quanto tempo.Bem ontem foi aniversario do Noah, nós fomos a uma churrascaria com a família dele, eles me adoraram. 
Até a mãe dele me elogiou.
Ele se transferiu para minha classe, estamos muito bem, fazemos tudo junto, tem muita invejosa com ódio, mas ele esta a cada dia mais apaixonado por mim, estamos querendo viajar nas férias para a serra. 
Ainda não sei como falar com a mamãe, ela nunca me deixa viajar sozinha, não vejo a hora de ter 18 anos e ser dona de mim.

03/10/2015

Diario de Katie

Rio de janeiro, 30 de abril de 1998
Diário, o Noah vai se transferir para minha escola vamos passar mais tempo juntos.  
Não vejo a hora de acabar esse período. Leia só a poesia que ele me mandou:
Se soubesses como eu gosto do teu cheiro, teu jeito de flor, não negavas um beijinho a quem anda perdido de amor.”

Ele é tão romântico e cuidadoso comigo eu o amo mais a cada dia.


02/10/2015

Diario de katie


Rio de janeiro, 20 de abril de 1998
Diário, você não vai acreditar no que aconteceu ontem na praia..
O Noah estava surfando e lógico que todas as meninas estavam olhando para ele, eu estava furiosa na areia com elas gritando o nome dele, mas ai quando a prova terminou, ele saiu da água e veio correndo em minha direção, todo molhado, cabelo ao vento, sorrindo e me beijou, tipo beijo de cinema..

Ai eu estou apaixonada..Ele é perfeito.


01/10/2015

Diario de katie

Rio de janeiro, 15 de abril de 1998
Querido diário, finalmente eu tenho novidades, nesses dias de adaptação a nova escola e perdida sem amigos nessa cidade, finalmente algo realmente bom me aconteceu.
Conheci um garoto lindo, chamado Noah, ele tem 16 anos, lindo, loiro, alto, forte, olhos azuis, surfista e super simpático. Ele me ajudou na praia ontem, foi tudo..ammmeeei.
Ele pediu meu numero, eu dei e ele me ligou assim que chegou em casa, ficamos conversando por horas, temos tanta coisa em comum, gostamos das mesmas coisas, ele é tão fofo.
Deixa-me dormir que amanha  tenho aula.

By Lilyth Luthor