25/08/2015

Dia do soldado

Foi no dia do soldado,

Na parada militar,

Um menino de 18 anos, talvez 20 no máximo,

Estava a marchar,Fardado, concentrado,

Ela olhava-o por entre a multidão de meninas eufóricas que lhes gritavam apelidos dos mais variados.

Foi até o final, caminhando despercebida por cerca de uns 5 km.

Ali todos mais relaxados retirando as faixas, devolvendo o armamento,

Ela sentou-se num banco em frente e ficou apreciando a vista.

Logo ele lhe olhou bem nos olhos e sorriu,

Ela ficou vermelha.

Ele caminhou em sua direção, tomou-a pela mão, puxou para si e beijou.

Sedento, apressado, faminto por aquele contato.

Ela retribuiu, estava aguardando-o desde o inicio da comemoração.

-Venha meu soldadinho, venha pra nossa comemoração.Sussurrou-lhe aos ouvidos, marota.

Saíram por entre a multidão correndo de mãos dadas,

Estava indo para a felicidade

Ele de farda, ela de vestido rosa,

Ela menina, ele menino,

Ambos com a vida lhe sorrindo.

Em casa amaram-se insaciavelmente.

Escondidos, afinal ainda era proibido,

Risos contidos, carinho no escuro...

Mas eram felizes pois tinham um ao outro e nada mais importava.

-Parabéns a todos os fardados por aí.

-Parabéns a ti meu amado, que é o único fardado que me importa.

Desde então, eles sempre amaram o dia do soldado.


By Lilyth Luthor